A Sociedade    |    Palavra do Presidente    |    Oftalmologistas Sócios    |    Sociedades Filiadas    |    Leis e Normas    |    Glossário    |    Recomendações
SBO EM AÇÃO
07 de Maio: Dia do Oftalmologista- o Único Profissional que Pode Cuidar da Sua Visão
 
Armando Crema, presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, explica a importância do Dia do Oftalmologista   Anatomia do olho. A visão é o mais importante sentido do ser humano, mas é também o que primeiro se ressente do envelhecimento
- O cuidado com os olhos deve ser uma preocupação constante de todo indivíduo, já que 85% do nosso relacionamento com o mundo se dá através da visão. E o único que pode garantir a manutenção de uma boa visão, segundo a legislação em vigor, é o médico oftalmologista, informa Armando Crema, presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, por ocasião do Dia do Oftalmologista- 7 de maio.

Armando Crema lembra que a data foi instituída em caráter nacional em 1986 com o objetivo de alertar a população sobre a importância dos cuidados com a visão para garantir uma boa saúde ocular. Esses cuidados já devem começar quando a criança nasce, ocasião em que é submetida ao Exame do Reflexo Vermelho (Teste do Olhinho) para detectar problemas oculares congênitos, tais como catarata, glaucoma e retinoblastoma.

- Para exercer a profissão, a lei brasileira determina que o profissional faça, após o curso de Medicina, com duração de seis anos, mas três anos de especialização em Oftalmologia. Caso queira exercer uma subespecialidade dentro da Oftalmologia são necessários mais dois anos de estudo ou prática específica na área escolhida. A busca do aprimoramento, entretanto, continua por toda a vida.

O presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia ressalta que a especialidade remonta aos antigos egípcios, mas a prática clínica começou com os gregos. Contudo, o verdadeiro desenvolvimento da profissão só ocorreu em 1850, quando o médico alemão Herman Ferdinand Ludwig von Helmholtz apresentou o oftalmoscópio, que permite examinar o interior do globo ocular.

- A partir da segunda metade do século XIX, acrescenta, o avanço da especialidade foi avassalador. Atualmente, a Oftalmologia é uma das especialidades médicas que mais se beneficia dos avanços tecnológicos, que permitem microcirurgias cada vez menos invasivas.

Armando Crema lembra ainda que a visão é o primeiro sentido a sentir o reflexo da idade com o surgimento da presbiopia (vista cansada) a partir dos 40 anos, o que torna inevitável o uso de óculos para a leitura.

- Excetuando pessoas que têm fatores hereditários que podem provocar problemas oculares precoces, é importante fazer uma consulta com o especialista no início da vida escolar e a partir dos 40 anos pelo menos uma vez no ano.

O médico oftalmologista é o único que pode prescrever tratamentos e correções para os olhos e realizar cirurgias oculares.

Abaixo, as principais doenças oculares da terceira idade:

Catarata

A catarata é uma doença ocular causada pela opacificação do cristalino, lente natural do olho responsável pela focalização da luz sobre a retina. O único tratamento para catarata é cirúrgico, em que procedimento substitui o cristalino danificado por uma lente artificial que recuperará a função perdida.

Visão turva e embaçada, cores com aparência desbotada, sensibilidade às luzes, que parecem mais intensas, visão deficiente à noite, visão dupla ou múltipla. Basta um desses sintomas para procurar um médico oftalmologista, somente ele está habilitado a fazer o diagnóstico através de exames específicos. Nunca se automedique ou use remédios caseiros.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) já são mais de 20 milhões de pessoas atingidas pelo mal em todo o mundo. No Brasil, surgem de 550 a 700 mil novos casos por ano, sendo responsável por 48% dos casos de cegueira entre os brasileiros.

A catarata atinge a população com mais de 60 anos. Os dados divulgados pelo IBGE apontam os índices da doença nas regiões do Brasil: Centro-Oeste (33,7%), maior índice do Brasil, Nordeste (31,9%), Sudeste (28,7%), Norte (26,7%) e Sul (21,8%).

Glaucoma

O glaucoma é uma doença que atinge o nervo óptico, caracterizada pela perda progressiva da camada de fibras nervosas da retina. Qualquer pessoa pode ser afetada pela doença, mas existem alguns grupos com maior risco, como os idosos, negros, míopes e com pressão intraocular alta.

O glaucoma é uma doença assintomática na maioria dos casos, por isso a importância da avaliação periódica por um médico oftalmologista. A doença não tem cura, mas pode ser detectada precocemente, evitando a perda da visão.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o glaucoma é considerado a terceira maior causa de cegueira no mundo e a primeira causa de cegueira irreversível. Estima-se que cerca de 3% da população mundial seja acometida pela doença. Por ano, são registrados 2,4 milhões de novos casos, segundo a OMS.

DMRI

A Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é uma doença que atinge a população idosa, geralmente pessoas com idade acima de 60 anos apresentam a doença. A doença atinge a mácula, uma região central do olho, responsável pela visão central, detalhes e pelas cores. Existem dois tipos de DMRI, a úmida e seca.

Para a DMRI seca não existem tratamentos nem cura para a doença. Já para a DMRI úmida o tratamento consiste na aplicação de medicamento diretamente na mácula. Durante algum tempo os sintomas não são percebidos. Quando os primeiros sintomas aparecem, como visão distorcida ou mancha na visão central, a doença pode estar em estágio avançado. Por isso que são muito importantes as visitas periódicas ao médico oftalmologista.

Estima-se que, no Brasil, cerca de 100 mil novos casos de DMRI se desenvolvam a cada ano, sendo a maior causa de cegueira após os 60 anos Quase 3 milhões de pessoas com mais de 65 anos sofrem com o problema no Brasil.

Retinopatia diabética: uma doença que atinge também adolescentes e jovens adultos

Além das três doenças listadas acima, a retinopatia diabética também pode levar à cegueira, mas atinge não só os idosos, como também adolescentes e jovens adultos.

Principal causa de cegueira em pessoas em idade laborial nos países desenvolvidos, a retinopatia diabética também preocupa no Brasil.

Estima-se que o diabetes afete hoje 13.4 milhões de pessoas no Brasil. Destes, 90% dos pacientes tipo 1 e 60% dos pacientes tipo 2 devem desenvolver a retinopatia diabética ao longo da vida, prejudicando sua visão, podendo causar a cegueira se não tratada precocemente.

A retinopatia diabética acomete a visão devido ao acúmulo de material anormal nos vasos sanguíneos do fundo do olho, o que pode ocasionar o entupimento ou enfraquecimento desses vasos, provocando o seu rompimento e danos à retina. Com o excesso prolongado de açúcar no sangue, os vasos sanguíneos da retina se deterioram.

- Para evitar o problema, o controle do diabetes é fundamental, orienta a Sociedade Brasileira de Oftalmologia. Adolescentes e jovens adultos muitas vezes não seguem a orientação médica, o que podem acabar provocando a perda parcial ou total da visão, conclui Armando Crema.
 Rua São Salvador, 107 - Laranjeiras - RJ - Cep: 22.231-170    Tel.: +55 (21) 3235-9220 | Fax.: +55 (21) 2205-2240    E-mail: sbo@sboportal.org.br